Jornalista Felipe Braun, lança livro sobre Lutero e a Reforma

03/08/22
Por: Redação T&C
evertonneves25@yahoo.com.br

No livro Lutero e a Reforma, o jornalista e escritor Felipe Kuhn Braun, descreve cronologicamente os episódios que resultaram no episódio de 1517, quando Lutero pregou as 95 Teses na porta da Igreja do castelo de Wittenberg, com críticas a Igreja da época. Este movimento que seria de reforma interna, não foi aceito pela maioria das autoridades eclesiásticas da época, resultando em debates e discussões acaloradas. Lutero avançou em vários pontos, aumentando suas críticas e em resposta, a Igreja lhe excomungou e lhe perseguiu. O autor detalha estes acontecimentos que promoveram uma grande cisma e ao mesmo tempo, reformas em vários setores da sociedade.

Felipe registra minuciosamente capítulos importantes como a Disputa de Leipzig, a Dieta de Worms, o exílio no castelo de Wartburg, o movimento iconoclasta de Wittenberg, a Revolta dos Nobres, a fuga das freiras de Nimbschen, a Guerra dos Camponeses, o Sermão do Príncipe, os 12 Artigos de Memmingen, a secularização da Prússia, a Confederação de Dessau, a União de Torgau, a falsa aliança de Breslau, os conflitos do Duque Ulrich, a Dieta de Speyer, a Disputa de Marburgo, os Artigos de Marburgo, a Confissão de Augsburg, a Liga de Esmalcalda, a Paz de Nuremberg, a decência de Frankfurt, entre outros episódios que modificaram a sociedade da época.

Braun também destaca o trabalho de Lutero na tradução da Bíblia e na criação de um “idioma alemão”. Sua preocupação com a formação educacional da população e seu trabalho desde as cartas escritas aos conselheiros e burgomestres das terras germânicas, a preocupação com um sistema educacional alemão, organizado especialmente por seu braço direito, Philipp Melanchthon. Os esforços de Lutero com a música, com a escrita e com a propagação das suas ideias. Braun também destaca, como foi possível realizar a Reforma, com apoio da prensa e de uma extensa rede de colaboradores.

 

Fonte: Texto e fotos /Adriano Alves